Parataekwondo

Foto: Daniel Zappe/EXEMPLUS/CPB

Paradens Parataekwondo
Foto: Daniel Zappe/EXEMPLUS/CPB

O Parataekwondo foi introduzido como membro do Comitê Paralímpico Internacional em 2015 e fará sua estreia em Jogos Paralímpicos em Tóquio 2020.

A World Taekwondo (WT), é a entidade regulatória do esporte e, que começou a desenvolver a disciplina “kyorugi” para atletas com deficiência, em 2005. 

O primeiro campeonato mundial de parataekwondo foi realizado em 2009, na cidade de Baku – Azerbaijão. A oitava edição ocorreu em Antalya, na Turquia, em 2019 e foi a maior até o momento, com a participação de cerca de 400 atletas de 69 países. Sete países foram representados, pela primeira vez, incluindo Jordânia, Arábia Saudita, Senegal, Eslováquia, Suíça, Tanzânia e Uganda. Atualmente o campeonato mundial é realizado a cada 2 anos e após 2020 se tornará anual. 

Desde 2013, o “poomsae” (artes marciais) vem sendo desenvolvido como formato de competição para atletas de todos os tipos de deficiências. 

Em 2015 o parataekwondo foi anunciado como parte do programa paralímpico, fazendo a sua estreia em Tóquio 2020. Nos Jogos, os atletas competirão no “kyorugi” (atletas com deficiências em membros e atletas com amputação de braço).

Paradens Parataekwondo
Foto: Daniel Zappe/EXEMPLUS/CPB
Paradens Parataekwondo
Foto: Daniel Zappe/EXEMPLUS/CPB

Sistema de Classificação

Os lutadores de parataekwondo são divididos em várias classes esportivas, dependendo da natureza e do grau de deficiência. 

As classes esportivas do Parataekwondo são definidas pela letra P (poonse – forma) e K (kiorugui – luta). 

As classes que fazem parte do programa paralímpico são as classes K43 e K44, na qual os atletas da classe K43 podem competir na classe K44.

Classe no Parataekwondo Elegibilidade 
Deficiência Visual
P10 Cegueira total - Acuidade visual menor que 2.6 LogMAR 
Cegueira Parcial (baixa visão) - Acuidade visual entre 1.5 a 2.6 LogMAR, e/ou campo visual entre 0 a 10°.
Cegueira Parcial (baixa visão) - Acuidade visual entre de 1.0 a 1.4 LogMAR, e/ou campo visual definido entre 10° e 40°.
Deficiência Intelectual
P20 Apresentam um déficit intelectual, o que normalmente faz com que os atletas tenham dificuldades com relação ao reconhecimento de padrões, sequenciamento e memória, ou tenham um tempo de reação mais lento, que impactam no desempenho esportivo em gera.
Deficiência Física
P30 Disfunção locomotora decorrentes de lesões encefálicas (atetose/distonia/espasticidade e/ou ataxia).
K40 Atletas com deficiência de membro, déficit de amplitude de movimento passivo, amputação, dismelia.
K43 Atletas com amputação bilateral do cotovelo até a articulação da mão, dismelia bilateral.
K44 Atletas com amputação unilateral do cotovelo até a articulação da mão, dismelia unilateral, monoplegia, hemiplegia leve e diferença de tamanho nos membros inferiores.
P50 W/C
P70 Baixa estatura.

Além da divisão de classe, os atletas são divididos por categorias de pesos.

Feminino Masculino
Até 49Kg Até 61Kg
Até 58Kg Até 75Kg
Acima de 58Kg Acima de 75Kg

Nos Jogos Paraolímpicos de Tóquio 2020, haverá eventos apenas para atletas da classe esportiva K43 ou K44 (combinados, evento denominado K44). Haverá três categorias de peso por gênero. 

Site das Confederações